Alicia Vikander é a Lara Croft desta geração.

Tomb Raider

Sequelas e adaptações de videojogos continuam a ser a tendência da moda em Hollywood.
Nova vítima: Lara Croft e o universo Tomb Raider.
Depois da desgraça que foram os filmes originais com Angelina Jolie pelas mãos de Simon West, os videojogos demoraram a recuperar a magia e a posição que tinham, e só em 2015 o conseguiram: Rise of the Tomb Raider foi definitivamente o melhor Tomb Raider em anos, e Hollywood deve ter visto uma oportunidade no sucesso deste último capítulo como desculpa para refrescar o franchise no cinema, esquecer todos os filmes até à data e pintar Lara Croft em mais uma aventura que parece ser a primeira da sua vida. Para os mais nostálgicos há até um extra: Lara Croft ainda está a tentar lidar com o legado do seu pai. Ao fim destes anos todos (20 anos!), seria de esperar que a narrativa já tivesse ultrapassado esta tragédia na vida de Lara, mas parece não haver forma dos filmes com mulheres no papel principal se descartarem da ideia de que estas precisam de um homem como motivação. Porque o que as mulheres fazem não têm sentido se não for por amor a um homem, não é verdade?

Já agora, lembram-se de Jon Voight como pai Croft? Preparem-se para o Richard Croft de 2018, interpretado por Dominic West. DILF alert!

0 I like it
0 I don't like it

Deixa um comentário: